23.6.10

Receitas executadas e fotografadas por um tipo que não tem uma cozinha. O que é obra, ó lá se é.



Confesso que tenho um prazer (secreto não deve ser!) em fazer alguma coisa diferente quando me pedem para cozinhar uma coisa a despachar. Olha-lá-podias-fazer-um-bife-grelhado-que-é-só-pôr-na-chapa-e-um-dois-três-já-está-na-mesa-com-uma-salada-pré-lavada? Se for eu a pensar nisso, ainda vá! Agora, pensarem que eu vou para o fogão cozinhar para os outros com a dedicação de quem crava molas em série... ah isso não!
Foi assim que nasceu este bife de peru que tinha o destino de ser grelhado com flor de sal. O bife foi a chapa. A cama é salpicada de verdes, com rodelas de fruta, cogumelos, regado ao gosto. E devo dizer que os sabores casaram na perfeição.
A foto explica tudo: tudo sem grande ciência, pelo que não vale a pena descrever a forma como foram feitos.
Tenho uma explosão sensitiva ao misturar certos sabores. No Verão há combinações que fazem as minhas delícias, ou porque são mesmo divinas, ou porque me trazem boas recordações: nozes ou amêndoas com figos; requeijão com manga e mel; bolo de mel e canela; maçãs com passas de uva; mangas verdes com sal; este prato é uma adaptação de uma receita inventada por mim numa manhã fresca de um Junho suave; os morangos com cheiro a quente...