Seguidores

26.2.13

Foi um homem gigante, alguém para ser lembrado eternamente.


Só tinha 87 Anos e uma vontade de viver que ninguém consegue imaginar, acho que nunca mais irei recuperar esta perda « nunca mais » tinha tudo aquilo que eu queria.
Deixou-me por uns tempos só para que eu possa pôr em prática tudo aquilo que me ensinou.
Mas estou convencido que não o vou deixar ficar mal onde quer que esteja, sinto sempre a sua mão indicando o caminho certo.

A saudade que tenho é imensa e nada preenche o vazio de um pai, assim como o vazio de uma Mãe ou de outro ente querido, pois cada qual é único nas nossas vidas. O que me conforta é que os seus ensinamentos ficarão para sempre na minha vida e servirão de exemplo para os meus filhos. 
Agradeço a minha Mãe por me ter presenteado um maravilhoso amigo.
Pai, com o pouco que você tinha, conseguiu edificar muitos castelos, não de tijolos, mas de dignidade, honra e decência, visível em cada um dos seus filhos.

Gostaria de anular esta data que me sufoca, pois sinto muito o meu coração chorar por querer o colo dele ou até as risadas de alegria que transmitia com tanta satisfação.

Tanto carinho, seria de invadir o meu coração que isto fosse apenas um pesadelo. Mais as cores que são alegres também contam as cores fortes, cores tristes, assim é a vida marcando contrato com o tempo. Enfim… a tempo de plantar e de colher.
Com todo o meu amor demonstro sentimentos para com todos que lêem o meu desabafo.

Quantas saudades Pai, quanta falta me faz! Este vazio na alma parece que nunca mais será preenchido. Deixou-nos tão abruptamente, não tive tempo para me despedir, para dizer o quanto eu te amo, para pedir que não nos deixasse. Isto aconteceu há  22 dias, mas parece que foi ontem. 
Quantas vezes recordo os momentos que passávamos juntos, quando  me ensinava o valor da honestidade, da fé, do carácter, da solidariedade. Foi um homem gigante, alguém para ser lembrado eternamente. Muito abrigada por tudo!
O mínimo que posso fazer é dividir com ele os tesouros que ele me deu para não ver a minha  Mãe sofrer a ausência deste homem que viveu 61 anos ao seu lado, companheiro e amigo.  O amor por Pai é eterno! E a falta que ele faz também!
Hoje protejo a minha mãe com mais força que antes. Tenho a certeza de que o vazio da partida nunca se vai preencher.

Dele tudo faz falta. Os abraços e as conversas cúmplices. Os olhares e o riso. O jogo de cartas. A horta biológica. Os almoços serenos, mas demorados e o brinde com tinto morangueiro. O ficarmos na sala a comentar cada notícia que passa, o seu adormecer debruçado na toalha de algodão, o acordar preguiçoso com o canto do galo, o pão fresco logo pela manhã e o sabor do café. De ti tudo me faz falta. Menos a saudade. Essa não me faz falta nenhuma.