Translate

Seguidores

26.7.19

A LUA 50 ANOS DEPOIS

A LUA 50 ANOS DEPOIS
A missão que deu mais espaço ao mundo
Há 50 anos, a Humanidade pôs os pés na Lua e o céu deixou de ser o limite. A frase de Neil Armstrong inspiraria uma geração, mas os caminhos espaciais ficaram aquém da excitação que agitou a década. Agora, a corrida ao espaço está relançada e traçam-se novas rotas e metas.
Esta é uma das maravilhas naturais do mundo a desenharem-se no céu.








22.6.19

O dia mais longo do ano

 A natureza alinhada com as danças do sol.
 Venha desfrutar do meu pequeno passeio pela minha quinta e arredores. Tem um cheiro agradável.
 Eu gosto das voltas ao sol, porque volta é movimento. E movimento é vida! E as voltas vão continuar... Não sabemos bem até quando... Mas enquanto elas vão continuar, eu vou celebrar a vida.
 Que sejamos autossuficientes, que respeitamos a terra.
 Espero que independente da nossa percepção política, respeitamos a terra, a água, a natureza.
 Desejo a todos o melhor da vida. Acima de tudo que respeitem que os caminhos dos outros são diferentes e sim espero que todos nós sejamos mais presentes.
 Quando fotografo o horizonte bordado de laranja, sei quem o bordou! Um dos teus sonhos.
Quero um rouxinol a cantar só para te ver feliz.
 Faça algo que lhe dê prazer! Tenha momentos de diversão e momentos para se despreocupar.
Acredito ser o combustível para mais uma euforia.
Desejo a todos melhor acções e que nunca se sintam sós.

28.5.19

O mês de maio...

Se você está mal e se sente realmente ferido Venha para o lugar onde eu trabalho E toda sua solidão vou tentar acalmar Eu vou tocar o blues pra você Não tenha medo entrar em Você pode encontrar alguns de seus velhos amigos Toda a sua solidão eu tenho que acalmar Eu vou tocar o blues pra você Eu não tenho grande nome e não sou uma grande estrela Eu toco o blues para você na minha guitarra Toda a sua solidão vou tentar acalmar Eu vou tocar blues para você
---------------------------------------------------------------------------------
Um copo de vinho, cigarro na mão, pé descalço sobre um tapete, luzes baixas, eu me balançando com isso ... E eu nem bebo nem fumo. Obrigado cara, essas coisas fazem um sonho. Comentário de: Frieda Shigwedha
---------------------------------------------------------------------------------
Já a Primavera vai adiantada, as flores estão viçosas e alegram os campos, germinam as colheitas na terra depois das águas de Abril.
O mês de maio é o auge da primavera com um aumento significativo das temperaturas. Um dos ditados populares do mês de maio diz que: "um maio claro e ventoso faz o ano rendoso." Maio é um mês mais calmo, que nos oferece uma energia calma, apaziguadora, favorável para retemperar forças e redefinir melhor as nossas prioridades.
Em maio não há madrugadas claras; são solares as manhãs e os dias alongam-se em tardes que se espraiam em poentes sem fim.
São frágeis, as flores. Mas olhem como o sopro do vento ajuda as pétalas de veludo a tecer uma tapeçaria nobre, com os nossos olhos cativos a perderem-se num chão-esboço-de-paraíso… Sem flores, nas árvores, ficam as folhas verdes acetinadas, serenas, langorosas, pousadas encantadas do canto das aves…
Perfeitas divulgam talentos na cor, desenhadas por deuses, em época de criatividade inexcedível!!
Em Abril / maio, a flor está no auge… desaparece lá para o fim do verão…. Frugal, só pede calor e uma gotinha de água.
Franzinas, como só elas! Não podem colher-se, senão as pétalas caem, morre a flor. São felizes nas encostas onde conversam animadamente com as flores das giestas, com a macela miudinha…
Resistem as flores confusas a animarem a esperança de dias melhores…
Aromática, tem direito a canção que a louva, porque “cheira tanto e de tal modo/ que não só perfuma o linho, mas também o quarto todo…"
######
No dia 26 fui votar, e levei uma flor para celebrar a Europa.


10.5.19

Oliveiras e Alfarrobeiras

Um misto de respeito e perplexidade são inevitáveis quando se observa um dos seres vivos mais antigos de Portugal. Foi recentemente datado como tendo a espantosa idade de 3350 anos, como se pode ler na página online do Instituto de Conservação da Natureza e Florestas. É uma oliveira. A sua sombra, certamente, acolheu celtas, iberos, lusitanos, celtiberos, cónios, romanos, visigodos, alanos ou árabes que se alimentaram das azeitonas que produziu. É contemporânea do faraó Ramsés II e de Moisés (1250 anos a.C.).
Pela quantidade de floração pode vir a ser um bom ano de azeite. Faltam umas chuvinhas para ajudar.
As árvores tradicionais - oliveiras - saltaram do campo para a cidade para ornamentar praças e jardins, depois de as palmeiras importadas do Norte de África começarem a morrer, atacadas pelo escaravelho.
Descobrir a beleza da flor de uma alfarrobeira macho.
Portugal é o terceiro produtor mundial de alfarroba, em expansão. Sobre as plantas ornamentais, lamento o facto de os empreendimentos turísticos se encontrarem rodeados de jardins com palmeiras que vão buscar lá fora, importando pragas e ignorando as coisas bonitas de cá. A alfarrobeira, é um arbusto, só é uma árvore se for podada. Por isso, defendo o seu uso na arquitectura paisagista, como planta ornamental. O que é necessário é encontrar variedades que se adeqúem ao jardim, que não sejam produtivas". Os bravos, crescem rapidamente e só dão flor
A parte mais valiosa do fruto é a semente que se utiliza na indústria farmacêutica, alimentar e cosmética.
A polpa tem sido essencialmente utilizada na alimentação animal e a sua farinha é usada como antidiarreico. Ultimamente utiliza-se como substituta do cacau no fabrico de chocolate.

19.3.19

Dia do Pai



Ser pai é ter nas mãos a missão mais nobre do mundo: educar um filho!
Meu pai, este é o dia em que a sua falta se faz ainda mais presente. Daria o mundo para hoje poder voltar a abraçá-lo e desejar-lhe um feliz dia do pai.
Querido pai, a sua partida não é assim, muito recente, mas ainda sinto os seus sinais, e uma saudade que já faz parte de mim.
Hoje, quero perpetuar a sua memória com esta singela homenagem.
Tudo o que eu possa dizer e escrever nunca serão demais, para agradecer todos os valores que me transmitiu e me fez tornar a pessoa que sou.
O meu amor por si não terá fim, meu pai, e não apenas, neste dia, mas todos os dias da minha vida!
 Eu lembrar-me-ei de si com eterna saudade!
Daqui, mando um grande beijo, direitinho ao céu, envolto de um abraço apertadinho.
Seu filho
Manuel Luís


8.3.19

Para ti, Mulher!

Para ti, Mulher!
Caminhando pelo campo
Num destes dias atrás
Não dei por passar o tempo...
É coisa que me apraz!
Num relance...
Num olhar fugaz...
Uma singela flor eu vi!
Quis colhê-la...
Mas, não fui capaz!
Captei-a nesta bela imagem
Com que ilustro este poema
Faço uma sincera homenagem
E completo este dilema!
Como é Dia da Mulher
Até vem, mesmo a propósito!
A ti, eu vou oferecer,
Com muito carinho e respeito!
É frágil e delicada!
Não merece grande importância
De cores suaves é salpicada
Exala uma ténue fragrância!
Para Ti, MULHER...
Seja de que raça for...
Eu entrego com carinho
Esta frágil e simples flor!
Como oferta especial
Nesta quadra tão lembrada...
Por tão simples e natural

16.12.18

MÃE

Só tinha 91 anos e uma vontade de viver! Acho que nunca mais irei recuperar esta perda! « Nunca mais »! Tinha tudo aquilo que eu queria.
Deixou-me, por uns tempos, só para que eu possa pôr em prática tudo aquilo que me ensinou.
Mas, estou convencido que não a vou deixar ficar mal, onde quer que esteja. Sinto sempre a sua mão, indicando o caminho certo.
As cores que são alegres, também contam: as cores fortes, cores tristes... assim é a vida, marcando contrato com o tempo. Enfim… a tempo de plantar e de colher.
 Agradeço á minha Mãe, por me ter presenteado com uma linda família.
Mãe, com o pouco que você tinha, conseguiu edificar muitos castelos, não de betão, mas de dignidade, honra e decência, visível em cada um dos seus filhos.
 Muito abrigada por tudo!
O mínimo que posso fazer, é dividir com a família os tesouros que os meus Pais me deram, para não ver a família sofrer a ausência deste casal que viveu 61 anos, lado a lado, companheiros e amigos.  O amor pelos Pais é eterno! E a falta que eles fazem também!
Hoje protejo a família com mais força que antes. Tenho a certeza,  que o vazio da partida nunca se vai preencher.
O céu ganhou mais uma estrela.


23.11.18

Isto é a nossa adega.

Depois das uvas apanhadas e pisadas, do período de fermentação  tumultuosa do mosto agitado e dançarino e do vinho retirado para os pipos, fica o bagaço que vai servir para fazer a aguardente bagaceira. 
Cobre-se o fundo do alambique com carqueja, enche-se com o bagaço e água em proporções. 
Resgatar a nossa memória e dividir este prazer é o que buscamos a cada dia.
O passado também foi dinâmico, por isso é importante mantermos hoje, a chama que amanhã fará a história.
Isto é a nossa adega!
A aguardente corre pelo bico de papagaio para um recipiente de vidro onde está o pesador a indicar graduação alcoólica.
Vai-se provando a aguardente, separando, a mais fraca, mas provando, provando, até atingir o ponto desejado.
Esta é uma aguardente de fabrico caseiro, a verdadeira bagaceira!
As previsões meteorológicas parecem propícias para mais aventuras amanhã!
Que belo momento este, em que recordamos o lugar e as pessoas que amamos e que são importantes para nós!
É sempre bom saber, que os que estão longe sentem o nosso convívio mais perto! 
Antes do almoço, assaram-se batatas, cebolas e bacalhau. Misturou-se tudo com bastante alho e o nosso magnífico azeite. Contamos histórias da vida, encostados às brasas... 
Fez-se noite! 
Comemos uma sopa de feijão e fatias de broa, por vezes, um pedaço de bacalhau. Saboreamos um branco moderado com um aroma nobre. Fizemos um brinde aos nossos!
Quanto à ementa, só mesmo quem a prova e vive, nestas alturas, sabe dar o valor ao azeite... Eu não sei o que é acidez, porque aqui, não se nota! É cá do nosso olival.

9.10.18

Anos 50/60/70... Lembram-se?

. Se os Reguladores e os Burocratas de hoje estivessem certos, nenhuma das pessoas nascidas nos anos 50, 60, 70  e princípios de 80 poderia ter sobrevivido até aos nossos dias, PORQUE:
. As nossas mobílias tinham cores bonitas, eram pintadas com tinta  à base de chumbo que nós, muitas vezes,  lambíamos e mordíamos.

. Os telhados eram cobertos com chapas, que continham amianto.
. Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas «à prova de crianças», nem fechos nos respectivos armários.
. Podíamos sempre brincar com as panelas e os tachos.
.Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacetes.

. Comíamos batatas fritas e pão com manteiga.
. Bebíamos água da mangueira do jardim, dos rios e não da engarrafada e... Sabia bem.
. Também consumíamos sumos de ananás e de maracujá, mas nunca engordávamos, porque estávamos sempre a brincar lá fora.
. Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e não morríamos disso.

. Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e, depois, andávamos a grande velocidade por uma rampa abaixo, para só então nos lembrarmos de que nos esquecemos de montar os travões. Com a pele esfolada, aprendíamos!
. Saíamos de casa logo pela manhã e brincávamos o dia todo, desde que regressássemos antes de escurecer.
. Estávamos incontactáveis e  ninguém se importava com isso.
. Não tínhamos "Play Station", nem "X Box", nem televisão.

. Não havia 200 canais na TV, nem filmes, nem vídeos, nem "home cinema", nem telemóveis, nem computadores, nem "DVD", nem "Chat" na Internet.
. Jogávamos à bola, ao elástico, ao lenço e à barra. Ao ferrinho. Tiro ao alvo - até doía!
 . Criávamos jogos com paus, bolas e pedras.
. Construíamos fisgas e papagaios coloridos.
. Se infringíssemos a Lei, era impensável contarmos com os nossos pais para nos defenderem/safarem. Eles estavam sempre do lado da Lei.
. Tínhamos amigos; se os quiséssemos encontrar, íamos à rua.
. Caíamos das árvores. Cortávamo-nos e até partíamos os ossos, mas jamais havia Processos no Tribunal.
. Havia lutas com punhos, mas nunca éramos processados.
. Batíamos às portas dos vizinhos, fugíamos e tínhamos mesmo medo de sermos apanhados.

. Acreditem ou não, íamos a pé para casa dos amigos e para a escola: não esperávamos que a mamã ou o papá nos levassem.
. Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados/expeditos de sempre.
. Aqueles anos foram uma explosão de inovação e criatividade.

. Tínhamos a liberdade, o fracasso (que facilitava, a seguir) o sucesso, a responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo.
És um deles?
És uma delas?
PARABÉNS

Com amor e saudade, para todos os que eu vi partir, mas que jamais irei esquecer.
Texto e fotos de: Manuel Luís
Baseado na minha experiência de vida.
Pontos por: Beatriz de Bragança Santos