Seguidores

15.6.18

Um dia em cheio, uma batida fotográfica e muitos troféus.

As maiores praias do mundo com aquele cheiro à maresia que só o mar Português tem.
 
Este pequeno paraíso apesar do seu aspecto rústico e até um pouco selvagem, a praia do choupal, não assusta ninguém. Pelo contrário. Palco para uma serenata, é um verdadeiro recanto de natureza quase intocado, onde o rio Mondego passa.
Do outro lado do rio - vai bem com um copo de vinho ou com um pedaço do «melhor pão-de-ló do universo».
Desejei nestes instantes de observação que o rio se mantivesse isento de poluições e que a mudança de cor nunca fosse outra que não a cor da invernia.
Não levo destas matas milhões de árvores como talvez levasse de uma grande floresta  mas, estas, são as minhas árvores, aquelas que o pinhal me oferece em sinal de amizade.
Esta paisagem voltará a chamar por mim, quando plantar novas árvores, raiados de sol morno e quando os pássaros jovens cantarem pela primeira vez os silêncios de um pinhal verde.
 As fotos horríveis não são boas de ver....
Assim que chego à banca, sinto a presença do mar que se impõe de forma avassaladora!
Temos a humidade marítima…
...o melhor peixe do mundo...
… o cheiro a “maresia” e a maré vazia…
… e também o som das ondas, trazido pelo forte vento!
Sendo depois esse mar – o do impacto da chegada e o das memórias que trazemos connosco, muitas delas desde a infância…
… que renasce à mesa da minha casa.
Símbolo internacional de homenagem às vítimas de conflitos armados.

Meninos e meninas!!! O MUNDO é vosso!!!

Brinquem muito, estudem e ensinem os vossos pais a preservar o seu mundo e a respeitar os seus direitos.


26.4.18

Sei de onde vêm as flores! Do teu sorriso!

Como o canto do vento que ressoa nas pétalas.
A natureza é que manda.
Chegou a hora de sermos inteligentes e agarrar a última oportunidade, pois cabe-nos a todos preservar o planeta!
Por esses quintais adentro vou fotografando.
Como pequeninos mísseis alados, cortam o vento em manobras inesperadas e parecem nada temer. As asas visíveis, lançam o pólen, permitem grandes façanhas, até mesmo enfrentar misseis mil vezes maiores.
As borboletas são indiscutivelmente os insectos mais belos da natureza. Com uma beleza natural única, as asas podem ser de todo o tipo de cores e feitios, e é impossível não reparar nelas num jardim de flores, pois dividem o protagonismo com elas.
Um desfile de flores silvestres.
Descubra que existem outras flores no seu jardim.

As flores são tuas - senhor vulcão.

Seja flor na vida de alguém.
O campo será sempre o eterno paraíso para o fotógrafo andarilho de câmara na mão. A sorte do fotógrafo está na luz a incidir na beleza da flor. Momentos em que só há valor nos personagens, que é a de isolar a flor do plano de fundo, fazendo com que a composição se resuma ao motivo central. Os desafios são diferentes mas sempre divertidos. E uma actividade calma e sem photoshop.


23.3.18

Uma volta pelo Sul

Pedalaram 773,5 quilómetros sobre rodas. Os pedais tomaram conta do sul do país na 44ª edição da Volta ao Algarve.
Uma prova em Portugal, que consegue atrair os melhores do mundo.


“O melhor pelotão de sempre na Volta ao Algarve”.

“Um percurso que se adapta a esta altura da temporada”.
A disputa permitiu também a “oportunidade de ver grande parte dos melhores corredores portugueses que representam equipas estrangeira e foram escolhidos para estarem presentes nesta corrida”.
Os melhores campos de golfe disponibilizam ambientes naturais de muita beleza, aliados às melhores condições para a prática do golfe. Se 
as suas férias passam pelo sul do país, não perca a oportunidade de conhecer estes campos. 
Integrados num ambiente natural belíssimo, que o tornam um dos mais belos campos de golfe de toda a Península Ibérica. Independentemente do handicap do jogador, este campo proporciona a todos os praticantes de golfe uma experiência rica e desafiadora.
Uma caminhada neste triângulo dourado é sempre inspiradora. Embora predominem relvados e campos de golfe, é por estas bandas do Algarve que existe, a maior concentração de jardins, compostos, sobretudo, por muitas das nossas plantas, e muitas outras originárias de regiões do mundo com o mesmo clima Mediterrânico.
A magia de ser um campeão, é eternizada por uma bandeira!
Amanhã, se eu for campeão, chorarei todas as minhas lágrimas, a minha existência ficará leve, a minha casa estará a salvo das finanças. Como campeão vou ao paraíso. Faço um cruzeiro, a casa de todos os amigos. Os ladrões deixam de existir.
Como são bonitas as tardes de Março no sul! O céu está agora azul e gosto delas pintadas de laranja, mas neste momento de primavera outra cor se impõe, pois a esperança, as praias, as montanhas as flores e as florestas Portuguesas são e serão sempre o meu local para fotografar e conservar...

21.1.18

INCÊNDIOS EM PORTUGAL: A DOR DE PERDER O QUE É DE TODOS

Lembro-me da primeira vez que visitei a região centro, já se passaram uns bons pares de anos. Nunca mais consegui esquecer aquelas árvores. Eram os pinheiros mais altos e mais lindos que eu alguma vez tinha visto. Rodeado por aqueles pinhais densos por todos os lados senti uma sensação de alegria, felicidade, conforto e realização que eu nunca consegui explicar. Senti uma sensação de pertença e de calma que eu nunca consegui sentir noutro lado. Senti que pertencia aquele lugar e senti que era lá que eu queria ser feliz.
A
mo o nosso país inteiro e acho que todos os nossos pequenos cantos são lindos, nunca consegui acalmar o meu espírito como quando estou rodeado de floresta. É muito estranho explicar, mas sinto que é como se lá tivesse vivido uma vida inteira, e que quando volto para lá o meu coração acalma. Sinto calma, completo e feliz.
INCÊNDIOS EM PORTUGAL 2017: UM INFERNO NA TERRA
Todos os anos eu visito alguns recantos. Acabo por não conseguir visitar tudo e prometo que irei fazer essa visita outro ano. Quando no penúltimo mês percorri a região, levei literalmente um soco no estômago com toda a força. A minha serra, as serras de todos, aquelas serras que eu tanto amo, por terem as árvores mais altas e mais lindas de Portugal, as serras com as suas florestas que fazem parte de nós, estavam completamente queimadas.
A minha serra ardeu e não foi pouco. A minha serra ardeu de tal maneira que ainda hoje está a arder. A minha serra ardeu tanto, mas tanto que levou a vida de dezenas de pessoas. Pessoas essas que tal como eu amava demasiado aquela serra. Pessoas essas que amavam tanto aquelas árvores que construíram lá as suas casas, tal e qual como eu construí.
Eu faço caminhadas nas aldeias de Xisto de 5 horas, eu respiro ar puro, eu mergulho nas praias fluviais. Eu fui muito feliz rodeado daquelas árvores. Tenho muitas palavras que posso continuar a escrever. Tenho muitos sentimentos que posso expressar. Tristeza, sofrimento, angústia. As árvores não eram minhas, as casas não eram minhas, as pessoas não me eram nada. Mas sinto-me como se tivesse perdido tudo isso e muito mais.
Tenho um nó no coração que ainda não consegui desatar, tenho lágrimas que me correm pela cara só de pensar na minha serra. Porque é que eu amo tanto aquela serra eu não sei. Só lá estou três meses, não dá para explicar. Mas só sei que quero ir lá, quero lá estar, quero lá viver, quero ser feliz lá.
Tenho medo, tenho dúvidas, tenho angústia. Mas tenho a certeza que quero voltar a ver aquela serra pintada de verde. Quero plantar dezenas, centenas ou até milhares de árvores com as minhas mãos. Eu quero ser Serra verde e florida.

Manuel Luís


21.12.17

Feliz Natal.

 Para todos os meus seguidores e leitores, um feliz Natal.
Para os que estão excluídos este Natal, seja qual for a razão, vai sorrir para eles, nem que seja só uma vez por ano. Mas uma vez é melhor do que nunca.
Que sejamos um presente um para o outro, sem fitas sejamos aqueles presentes iluminados, que gostaríamos de receber com carinho.
O melhor que podemos dar vem de nós.
Regressemos à nossa fé infantil. Talvez o melhor enfeite de Natal seja um grande sorriso, uma saudação.

São costumes diferentes de povos diferentes que seguem religiões diferentes em países e continentes diferentes. No entanto, todos sejam onde for, estão unidos no amor que sentem pelas suas famílias, fazendo da Humanidade uma comunidade de irmãos que vivem à volta dum lago comum, o mar.

O amigo Pai Natal, disse-me que tem uma prenda muito especial para si... Um abraço, um beijo meu! Feliz Natal.


20.10.17

Pinceladas de poesia nos muros.

O muro pintado de branco simula a página de um livro. As letras devem ser sempre em maiúsculas, e as frases não podem ser longas demais. Pelas regras oficiais há até certa quantidade de palavras. 
Deve ser uma mensagem feita para ser lida de longe, rápido, numa passagem de carro. Não devem falar de política nem de religião, devem ser coisas simpáticas. Frases agradáveis, que nos façam sorrir quando passamos e que deixam a cidade mais acolhedora.
Mais paredes cheias de poesia, por favor.
As pinturas nos muros da rua da Igreja, estimulam a mente. Cada poema comunica uma parte da cultura.
Do outro lado também há sonhos e casas.


Enquanto vivas, distinguem-se, umas das outras.
Elas morrem com a morte das pessoas.