Seguidores

19.12.10

NATAL 2010

Fim de mais um ano. A memória vê-se disposta a fazer um balanço de tudo o que houve durante este período. Para uns passa bem rapidamente, para outros parece uma eternidade.
Agradeço já de antemão a todos os que me enviaram sempre palavras de apoio, incentiva, de alegria, de paz.
A escolha do coração é pelejar por um mundo melhor, por momentos melhores e por uma convivência mais pacífica, em que todos se sintam bem e respeitados. Essa é a minha escolha e agradeço aos que escolhem viver deste modo também.
Tenho as minhas falhas e sei que seria sem graça ser uma pessoa perfeita. Hoje, só valorizo tremendamente esta escolha, porque sei o quanto é ruim uma convivência desarmónica, sem respeito, sem alegria. Aprendemos muito com nossos problemas e imperfeições.
Desejo a todos saúde, amor, dinheiro e tempo para gasta-lo. Um abraço!
Não vou entrar no mérito do Pai Natal. Na minha cabeça ele nunca existiu e sei que há muitas histórias a respeito dele, e o apontam como sendo uma figuração de São Nicolau, etc.
Nunca acreditei em Pai Natal, sempre vi isso como uma brincadeira sem maldade. Na verdade, sempre acreditei que o sentimento de dar presentes existentes nos meus pais e familiares é que faziam deles o meu Pai Natal. Não precisava ser velho, ter barba branca, roupa vermelha. Essa imagem foi construída pela Coca-Cola. Bastava que me amassem. E as crianças adoram presentes! Pessoalmente adoro tanto dar quanto receber presentes.
No meu entendimento, não era nenhuma forma de idolatria. Não era uma forma de comunhão com o mundo. Era só uma brincadeira.
Graças aos meus pais que não assombraram a minha cabeça com terrorismos de fé e um monte de informação que talvez não fosse o momento de uma criança como eu saber. Não cresci com traumas nem apego a esses valores. O importante é o bom senso.
Para mim, ficção é ficção. E o seu lugar é apenas aí. Essa é minha opinião, com respeito a toda opinião contrária.
Neste arquivo estão publicadas algumas fotos com temas natalícios e Pai Natal.
"Não sou um ateu total, todos os dias tento encontrar um sinal de Deus, mas infelizmente não o encontro." (José Saramago)
 "Nada há que seja verdadeiramente livre nem suficientemente democrático. Não tenhamos ilusões, a Internet não veio para salvar o mundo." (José Saramago)
"No fundo, o problema não é um Deus que não existe, mas a religião que o proclama. Denuncio as religiões, todas as religiões, por nocivas à Humanidade. São palavras duras, mas há que dizê-las." (José Saramago)