Seguidores

18.2.11

37.ª Volta ao Algarve: Chuva de estrelas nas estradas portuguesas


É nada mais, nada menos que a prova de ciclismo mais mediática no território nacional e aquela que mais equipas do escalão principal e mais figuras do ciclismo internacional reúne.
Para a primeira etapa, entre o Estádio Algarve e Albufeira (157,5 km), estão inscritos 168 ciclistas, de 29 nacionalidades, sendo a esmagadora maioria portuguesa (31), belga (22) e espanhola (18), divididos por 21 equipas – 12 do principal escalão internacional, cinco do segundo e as quatro profissionais lusas.
Após a partida simbólica, 10h50, o pelotão de “estrelas” enfrentou uma primeira meta-volante (65,8 km), um prémio de montanha de terceira categoria (92,6 km), seguiu-se novo sprint intermédio (104,9 km) e mais uma “montanha” de terceira (127,4 km), chegada à Câmara Municipal de Albufeira, as 14h30.
A Volta ao Algarve - este ano com um orçamento mais curto - foi procurada pelas principais equipas e corredores mundiais, tendo em conta que é considerada um excelente primeiro ensaio para a preparação para as Voltas mais importantes - a Vuelta espanhola, o Giro italiano e, claro, o Tour de France.
Cinco etapas, 707,7 km, 21 equipas das quais 12 da primeira divisão. Os números da 37.ª Volta ao Algarve impressionam, mas não tanto como os nomes. A corrida que se disputa até domingo conta com alguns dos melhores corredores do mundo e é, a única que junta no mesmo pelotão os seis ciclistas lusos que representam equipas internacionais.
Com esta parada de estrelas da dimensão que brilha nas estradas do sul do país, não é fácil apontar favoritos ou previsíveis protagonistas.
A Volta ao Algarve é a competição velocipédica portuguesa que melhor naipe de atletas atrai a cada ano que passa, conseguindo juntar muitos dos melhores ciclistas do Mundo e, através disso, transformou-se numa das manifestações desportivas do País que maior interesse suscita em toda a Europa, particularmente junto de cidadãos de Espanha, França, Itália, Alemanha, Bélgica e Holanda.
A transmissão televisiva da prova pode ser um importante instrumento para a divulgação internacional do Algarve como destino turístico.

A petição pode ser assinada em http://www.peticaopublica.com/?pi=VAlgarve

Petição pela Volta ao Algarve na Televisão

13.2.11

Prato tipico Português feito de pão amolecido. O leitão é para o dia seguinte.

Migas de pão pobres sem conduto, um prato de recurso pela necessidade de não desperdiçar pão.
Ingredientes:
Pão Algarvio, Alentejano, de Trás-os-Montes ou das Beiras, duro.
Alho, coentros, azeite, flor de sal louro.
Preparação:
Comece por cortar o pão em fatias muito finas, demolha-se com agua quente, escorre-se.
Picam-se os alhos. Numa frigideira, deite azeite português. Deixe alourar e, nessa altura, adicione o pão, deixando cozinhar em lume brando mexendo de vez em quando até secar ligeiramente. Se quiser pode enrolar as migas.
Quando as migas estiverem envolvidas numa crosta dourada e fina, colocam-se no prato e polvilhe com salsa.
O pão é um elemento fundamental na tradição alimentar portuguesa e que ajudou a criar um valioso receituário culinário
As migas com as suas variantes podem agradar a todos os paladares. E para terminar apenas cito Aquilino Ribeiro: “Quem não tem paladar não tem carácter”.
Sobremesa:
Mas, porque uma refeição só fica completa com uma sobremesa, apresento as pêras refrescantes e com simplicidade.
Corte as pêras menores nacionais em metades, coloque no prato, adicione um pouco de agua se estiverem ainda verdes. Vai ao microondas durante 40 minutos. Não adicionar açúcar porque vão ficar naturalmente doces.
Arte do assador

O batidasfotograficas, dá-lhe algumas sugestões para que consiga passar um dia em grande, com alguma dose de originalidade. Aqui em casa, temos preparada, para o Dia dos Namorados, uma sugestão de trazer água na boca...Um leitão afrodisíaco, com um ambiente bem temperado de humor e imaginação. Deixe-se levar pelo sabor dos ingredientes e pela preparação de uma ementa 'bem temperada'.
“Escaldante” peito de leitão cheio de f g, umas pernas bem suadas com… o “Finalmente” algo a derreter na boca, SONHOS e com “a certeza de que atrás, não voltaremos nunca” …vinho morangueiro do Sobral Adelio e… Uma viagem na degustação de um prato que promete deixar os sentidos e sabores apurados.
Durante o tempo de assadura o leitão é, por vezes, retirado (do forno, não da vara) e borrifado com bom vinho branco da Bairrada. Estes borrifos periódicos feitos com um raminho de louro têm por finalidade tornar a pele dura e estaladiça, não deixando que a pele enfole ou rebente. A pele é mais saborosa,  mas também mais fácil de cortar e de comer se não a deixarmos queimar em demasia.
Esta operação é completada com a vinda do leitão quente ao ar frio, «constipando-o».
Para mais informações consulte:
http://www.leitaobairrada.com/pagina_leitao.php?id=6
Os nossos sonhos.