13.2.16

Dia Mundial da Rádio

A rádio é para a hora em que as coisas estão quentes. A troca de informações acontece através de ondas electromagnéticas que se espalham pelo espaço.
Emissoras de rádio não são apenas para música. Elas informam, exibem programas e inserem o ouvinte cada vez mais no seu reportório. A Internet foi apontada como causa da possível extinção do rádio, o que não aconteceu, e melhorou a ligação entre emissoras em todos os lugares. Hoje, pela Internet, pode-mo-nos ligar à rádio de Angola, um programa em Coimbra, e até participar com a nova tecnologia, fora da nossa cidade.
A ideia é sempre utilizar o bom senso e participar, afinal é comunicando que a gente se entende. Vamos festejar o dia mundial da rádio bem informado.

Foram alguns anos a fazer programas na rádio Reat (pirata) e no radio Clube do Bié, discos pedidos, entrevistas concursos e apresentações. A fazer surpresas e a ser surpreendido.

Recordo aqui todos os que fizeram parte destes belos momentos, eu não tive a oportunidade de seguir a rádio, mas através das redes sociais exerço um pouco de jornalismo e radialista como nos velhos tempos, mas agora na área de bloguista.

30 comentários:

Vivian disse...

Outro dia mesmo estava falando com um amigo
radialista que hoje opera uma WebRádio, e
conversávamos justamente sobre como este
veículo é ainda companheiro de tantas
pessoas solitárias, por estes rincões
do Brasil, e acredito que também por
todo mundo...
Porteiros de prédios, por exemplo, fazem
das rádios nas madrugadas, suas únicas
companhias...por isso este veículo não
deve ser esquecido, tornado obsoleto,
apesar das modernidades e tecnologias
tão desenfreadas como hoje!

Ilesin disse...

Si habido un invento que ha sido primordial en la historia este es sin lugar a dudas la radio ya que en su momento ha sido un vehiculo importante para estar al dia de todas las incidencias acontecidas en el mundo. Ahora con tantas inovaciones tecnologicas quizas no se tenga tan presente pero para muchos sigue siendo un instrumento para alejarse de la soledad.
Besos

AMBAR disse...

Un bello recuerdo la radio, educativo y entretenido con diversidad de temas.
Ha llegado una nueva tecnología y se esparce por el mundo, en segundos une todas las partes de la tierra como los hilos de una tela de araña, gracias Manuel por recordarnos este día.
Un abrazo.
Ambar

© Piedade Araújo Sol disse...

memórias que ficam...

:)

Felisberto N. Junior disse...

Olá,sr.Manuel,boa tarde, sim, o advento da internet gerou fortes impactos em diversas áreas de atuação profissional, e para o rádio, inclusive e também... faço parte daqueles que acreditam que ,mesmo os mais radicais dizendo o contrário, a internet veio para fortalecer e ser mais um aliado para o rádio...não existe meio mais rápido , podendo ser à pilha, à bateria,no carro,na rua,no celular de se propagar uma notícia,informação...é claro que potenciada pela internet , com novas configurações , nova linguagem multimídia...que possamos comemorar mais e mais Dia do Rádio,e que possamos ler mais sobre suas lembranças como radialista... vim agradecer pelo carinho da mensagem,naquele meu momento nada bom, obrigado,Deus te abençoe,belos dias,abraços!

Fê blue bird disse...

Manuel, ainda tenho um rádio antigo Nordmende que era dos meus pais, a funcionar :)
Confesso que em pequena gostava de rádio, mas fui perdendo essa ligação, outros gostos, outras atracções.
Não tenho facebook por opção ;
Um beijinho e boa semana

Vera Lúcia disse...


Olá Manuel,

Meu pai era um ouvinte assíduo de rádio. Lembro-me sempre dele sentado em uma cadeira perto do seu rádio, que tinha um modelo do tamanho deste maior, à esquerda. Ouço as emissoras de rádio quando estou no carro, dirigindo (músicas, jornais, programas divertidos, entrevistas, etc). Tenho vizinhos que ficam acompanhando jogo pela TV e com o rádio ligado. Neste, observa-se que o gol chega primeiro-rsrs. É um instrumento de comunicação que nunca irá se perder.

Abraço.

Graça Pires disse...

Belíssimas recordações... A rádio nunca acaba.
Beijos.

São disse...

Fez rádio? Também tive , com uma amiga, um programa semanal durante um tempo numa rádio local.

Bons sonhos

Luis Coelho disse...

Quando chegou cá a casa o primeiro rádio foi uma grande festa. Corriam os anos de 1958 mais ou menos.Criaram-lhe um lugar de honra. Parece-me que a emissão não era toda seguida.
Guardo algumas destas relíquias e recordo os serões quando sentados à lareira ouvíamos religiosamente as notícias, o tempo, os parodiantes e tantas histórias que vinham de longe.

Kasioles disse...

Yo recuerdo aquellos tiempos en que la radio era esa voz que hablaba, que nos tenía unidos al exterior, que nos entretenía en esos momentos de descanso y que las canciones modernas se repetían una y otra vez.
Con la radio podías ejercitar la imaginación y también te ayudaba a soñar al escuchar noticias o aquellos seriales interminables que amenizaban la comida o las primeras horas de la tarde.
Conservo una radio que tiene más de cincuenta años, era la mejor que había en el mercado por aquél entonces, por los recuerdos y, por lo bien que suena todavía, es como una joya.
Con tu entrada, le has dedicado un bello homenaje a la radio de toda la vida.
Cariños y buena semana.
Kasioles

Elisabete disse...

Todos os dias conduzo uma hora para o trabalho. Ainda bem que tenho radio.
Bom fim de semana

Ana Freire disse...

Ainda há cerca de 15 dias, atrás, andei a tirar umas fotos, a umas rádios bem antigas... também para colocar qualquer dia destes, lá na minha chafarica...
Também não concebo começar o dia, sem ouvir rádio... ultimamente mais na Antena 1...
Tinha um déficit de conhecer a boa música portuguesa, que se vai fazendo, recentemente... e por lá, tem sempre óptimas sugestões...
A foto está fantástica, para assinalar o dia...
Será uma Philips, a rádio de cima preta, do lado esquerdo?... E a de baixo parece-me da mesma marca...
Abraço! Bom domingo!
Ana

helia disse...

Eu continuo a usar muito o rádio , principalmente durante a noite , ligo o rádio quando me deito e adormeço e acordo ao som do rádio !

Helena disse...

Meu querido amigo, fizeste-me lembrar meu pai que, mesmo tendo modernos recursos para receber informações, nunca abandonou um radio que ganhara do pai e que mantinha numa estante do escritório. Enquanto todos se mantinham presos à sala de TV lá ficava ele sintonizando as estações que mais lhe agradavam. Foram muitas as vezes em que o vi folheando um jornal, mas de ouvidos atentos à voz do locutor.
Lembranças que me foram suscitas por esta tua preciosa postagem. Grata, meu querido!
Que a tua semana seja linda, alegre, produtiva, enfeitada de sorrisos e estrelas.
Com carinho,
Helena

© Piedade Araújo Sol disse...

MAnel
apenas para deixar um beijinho amigo.
:)

Silenciosamente ouvindo... disse...

Belíssimas recordações da rádio, quando não havia mais nada.
Amigo, comecei a trabalhar com 9 anos, em 1955, nesse tempo
as crianças podiam trabalhar, e precisavam de trabalhar.
Fui para um escritório, numa fábrica onde meus pais trabalhavam.
Era um luxo!!! E o meu primeiro ordenado 150 escudos/mês.
Sabe que comprei com esse primeiro ordenado? Um rádio.
Nunca mais me esqueci. E foi um dia muito alegre para mim.
Cheguei ainda a fazer umas coisas numa rádio regional,pouca
coisa e por pouco tempo.
Ainda hoje, gosto muito de ouvir rádio.
Abraço amigo.
Irene Alves

Rui Pires - Olhar d'Ouro disse...

Excelente partilha e uma foto que vai sendo coisa rara...
Abraço

Maré Viva disse...

Olá, Manuel Luís, que surpresa! Radialista no Radio Club do Bié? Sabes que foi lá, em Silva Porto, que fiz os primeiros anos do Liceu? Como o mundo é pequeno...lá diz o povo.E já agora digo-te: não dispenso o rádio, adormeço e acordo com ele ao lado da almofada...
Vim dizer-te também que hoje voltei a escrever, (ao fim de tanto tempo)e espero uma visita ao meu blog.
Um abraço.

Crocheteando...momentos! disse...

Olá primo...pois a rádio fez parte das nossas vidas e para muitos...ainda faz!
Bela homenagem...e bj amigo

Maré Viva disse...

Ahh Manuel Luis, não sabes que as dores não têm corpo? Por isso se alojam no nosso, (atravessando paredes e portas fechadas a cadeado) e aí fazem ninho...não queiras ser como elas, devem ser parasitas que se alimentam da nossa energia...
Abraço.

Maré Viva disse...

Está combinado, ou seja a combinar, quando a meteorologia nos oferecer uns dias de sol, vamos almoçar e falar das coisas de lá, que mesmo que não queiramos, (porque às vezes faz doer), ainda moram dentro de nós.
E agora vou fazer uma visita à tua prima. Também viveu lá?
Beijos.

© Piedade Araújo Sol disse...

Manel
venho desejar bom fim de semana.
obrigada pelas visitas.
beijinhos
:)

Pérola disse...

A rádio tem um papel muito especial na vida de muita gente, eu sou uma delas.

Beijo

RECOMENZAR disse...

gracias por comentarme artista poeta

Carmem Grinheiro disse...

Olá, Manuel Luis.
Boas recordações. O rádio até pode ser substituído por instrumentos mais modernos... mas acredito que, de uma forma ou de outra, a rádio nunca acabará.

abço amg

manuela barroso disse...

E comecei a descer degraus para subir em luz: fiquei muito sortidente com as suas palavras Manuel Luis . Tenho o fascínio da fotógrafia mas do intuição . Aprecio muito , sim . Ainda bem que vou ouvir as suas " batidas " . Diga tudo o que achar por bem . Agradeço muito

Muitooo obrigada
Bji!

manuela barroso disse...

Ah ! E no entusiasmo ... Foram - se os discos pedidos e a nossa rádio !
Bons tempos ...

LopesCa Blog disse...

O meu sogro tem um belo rádio antigo :)


Blog LopesCa | Facebook

A Casa Madeira disse...

Sabes que voltou a moda por aqui de algumas empresas usarem esse
estilo de rádio antigo para vender... eu particularmente gosto
muito... tenho uma vitrola antiga e outra mais nova.
Ter o velho por aqui agora é chic; mas o preço é caro! mais caro que
um aparelho novo cheio de recursos...

Abraços.