1.11.11

SINAIS DE UMA RIBEIRA QUE FICOU PARA TRAZ

Chuva são gotas de água que caem no solo e deixam apenas marcas. Marcada fica a terra seca quando choram as nuvens. A água procura sempre o mesmo curso. O homem estraga a chuva constrói.
A alguns anos a traz, existia aqui uma ribeira, agora passa uma via rodoviária, foi errado construí-la, os condutores desafiam a força da natureza pondo em perigo a sua vida e a dos outros, pode tornar-se uma estrada sem fim, consequências da ignorância.
O sol tirou umas férias. A rua parece pedir socorro, afoga-se em tanta água.
As crianças não correm na rua, os cachorros não cheiram os postes e os passarinhos não entram pela janela para procurar comida.
A chuva existe para matar a sede do solo, alimentar a vida e renovar o sangue da natureza. Patéticos... Comparam a chuva com tristezas e trovões com as suas ansiedades, o Sol é tão lindo quanto às nuvens que o cobre, a lua é tão linda quanto os trovões que atiçam o medo nas pessoas, chuva é o bom tempo, é só um dia cinzento.
Profundo e subtil pensar, sentir a chuva... Penso também como os ares ficam leves depois da chuva. São bênçãos disfarçadas.
Quando chove, ficam as marcas no chão, as marcas da chapinhada dos pés de uma criancinha. Lá fora a chuva cai e com ela o ar da saudade que sinto quando chove.
Hoje acordei cedo, contemplei mais uma vez a natureza. A chuva fina chegava de mansinho.
O encanto e o aroma matinal traziam um ar de reflexão. Enquanto isso, o meio ambiente pedia socorro. Era o homem construindo e destruindo a sua casa. Poluição, fome e desperdício deixam o mundo frágil e degradado.
Dias mais quentes aquecem o “planeta água”. Tenha um instante com a paz e a harmonia.
Reflicta e preserve para uma consciência colectiva.
Ainda há tempo, cuide bem da natureza.
Você diz que ama a chuva, mas abre o seu guarda-chuva quando chove. Você diz que ama o sol, mas procura um ponto de sombra quando o sol brilha. Você diz que ama o vento, mas fecha as janelas quando o vento sopra. É por isso que eu tenho medo. Você também diz que me ama.
William Shakespeare
Até que... Numa hora...! A chuva cessou o sol novamente brilhou e as águas escoaram.

15 comentários:

Fatima disse...

Lindeza de post Manuel!
Coloquei uma imagem sua lá no blog.
Já viu?
Bjs.

Audrey Andrade disse...

Manuel, vim retribuir sua visita em meu blog - que muito me honrou - e me deparei com o triste cenário, que não é exclusividade da Ribeira, o que me faz lamentar profundamente.
Apesar de retratar momentos tristes e, infelizmente, cotidianos nas cidades brasileiras, suas fotos são lindas. Parabéns!

Meu carinho!
http://pequenocaminho.blogspot.com

Lucia Luz disse...

Minha nossa quanta chuva!!
Belas fotos.
Um abraço

Lucia

Fernando Santos (Chana) disse...

Bela Reportagem...Espectacular....
Cumprimentos

mfc disse...

Boas fotos!!
E bem oportunas.
Também andei a fazer surf com o meu carro e houve alturas que tive algum medo.

Manuel Luis disse...

A pedido dos meus queridos amigos, publico a mensagem enviada por email.
TU ÉS REALMENTE UM ARTISTA! Na verdade, é necessário ter-se paixão por algo para se obter sucesso.
Parabéns é uma expressão muito pobre para definir o nosso agrado.

Um grande abraço e votos de saúde para toda a família

Alice e Mário

♪ Sil disse...

Manuel,

São lindas suas fotos!
Sou apaixonada por fotografias, principalmente essas que falam do dia a dia.
Tristes essas chuvas, que tantas vezes devastam tudo, até a vida das pessoas..
Mas acredite, que aqui no Brasil não é diferente.

Deixo aqui o meu abraço!

Gisele Claudya disse...

Obrigada pelo teu comentário sobre a minha pintura do Forte.
E viva a fotografia! Apesar da mãe Natureza estar aqui um pouco nervosa e ter enviado chuva demais ehehehe
Beijocas

ANTÓNIO SANTOS (TOMANEL) disse...

Bons momentos fotográficos em maus momentos do tempo.
Abraço

tulipa disse...

MANUEL LUÍS

Hoje não estou com cabeça para nada...
só vim justificar as minhas actuais e futuras ausências!!!
Hei-de voltar...
talvez...
...
sem promessas!!!

Ando desorientada com a vida...
para quem sofre de estados depressivos esta mudança brusca do verão para o inverno,
sim isto é inverno nem outono lhe podemos chamar,
faz-me muito mal, só por si...
mas se outros factores externos ajudarem a piorar a situação,
então é melhor hibernar como as minhas tartarugas...
não me apetece ver ninguém,
nem sair de casa...

para ajudar à festa,
estou sem net há 4 dias, em casa...
só tenho acesso aqui no trabalho e por poucos minutos...
daí que aos fins de semana costumo fazer novos posts e...
nem isso pude fazer no domingo passado...

AMIGO
desculpa o desabafo, sabes, sou muito verdadeira não sei fingir e a minha transparência faz-me ser assim, dizer o que sinto!
Espero que esteja tudo bem contigo
Rezo a Deus para que a minha boa disposição regresse...
deixo um abraço apertado e espero que me compreendas!

Beijinho

Hana disse...

Vi imagens lindas, outras curiosas, mas em fim, os textos são de arrepiar a pele, muito maravilhoso, agora aqui te leio, aqui te sigo, obrigada pela partilha. Eu amo fotografia, as suas são divinas e da para ler seu coração em cada imagem, seu coração é precioso!!
com carinho
Hana

Salvador Recio Urbano disse...

Hola Manuel, fantastico blog, menudos trabajos, felicitarte por ello y decirte que desde hoy tienes otro seguidor más, buenas fotos y muy bien congelados los momentos. Un saludo.

Gisele Claudya disse...

Oi, menino da máquina fotográfica ehehehe
Eu tenho pintado, sim, e tenho tb algumas telas riscadas. O dia que eu puder, pinto alguma foto tirada por ti, tá?
Olha, mas tem um coisa: o verão tá chegando e passo muito mal com o calor. ODEIO CALOR. Acabo não conseguindo fazer nada nessa época. Se ursos hibernam no inverno, eu vegeto no verão ehehehe
Beijocasssssssssssssssss

Hana disse...

Meu bom dia com alegriiiiiiiaaaaaaaa, que este dia seja iluminado a cada passo seu e de sua família.
Para começar o dia nada melhor que visitar um amigo, e ver estas imagens de natureza em seus posts antigos, um colírio para a alma um bálsamo. Já tomei meu, chá sentei em sua sala vasculhei seu mundo e te li, adoro seu mundo!! Ele é igual ao meu!!!
Aqui fica meu sorriso e meu chá de hortelã para um novo amigo!!!
com carinho
Hana

Dylan disse...

Poesia?! A mim parece-me uma espécie de caos diluviano!