Seguidores

26.5.12

O AMOR ACONTECE

O amor acontece. Numa quinta, por exemplo, num domingo de super lua, depois do silêncio
da manhã; começa em cafés ás 10h da manhã; de repente, no meio de uma neblina na acidez da aurora, depois de uma noite votada à alegria póstuma, que não veio; o amor acontece no

desenlace das mãos, como tentáculos saciados, e elas movimentam-se no escuro como dois 
polvos de solidão; como se as mãos soubessem antes que o amor acontece-se; na insônia dos braços luminosos do relógio; o amor acontece nas geladarias diante do colorido dos gelados de

figo e amendoa; e no olhar do cliente errante que passou pelo café; às vezes o amor acontece nos braços torturados de Jesus, filho crucificado de todas as mulheres; mecanicamente, no elevador, como se lhe faltasse energia; no esvoaçar diferente de um filhote que caiu do ninho; no
 cantar aflito da Mãe; nas tangerineiras, nas oliveiras, nos corrimões e nas silabas do canto; 
quando um mocho se habitua á estaca empoeirada de pólen, onde o amor pode ser outra coisa, o amor pode acontecer; na compulsão da simplicidade simplesmente; no sábado, depois de três
 goles de vinho à volta das pipas; na semente tantas vezes semeada, às vezes vingada por alguns dias, mas que não floresceu, abrindo parágrafos entre o pólen e o gineceu de duas flores; num quarto refrigerado, forrado a madeira, cheio de brilho, onde há mais encanto que desejo; e o amor
 acontece na poeira que as flores vertem, caindo impercetível no beijo de ir e vir; no autocarro, ida e volta de nada para nada; em cavernas de sala e quarto conjugados o amor se erriça e acontece; no inferno o amor não acontece; no fogo do pinhal o amor  dissolve-se; em Coimbra o amor pode
 virar pó; no Mondego, frivolidade; no Sobral, tristeza; em Angola, dinheiro; uma carta que chegou depois, o amor acontece; uma carta que chegou antes, e o amor acontece; na controlada fantasia do libido; às vezes acontece na mesma música que começou, com o mesmo brinde, diante dos
 mesmos chilreiros; e muitas vezes acontece em ouro e diamante, nos meus Pais com idade 
avançada dispersando entre as estrelas; acontece nas encruzilhadas de Coimbra, Angola, 
Algarve; no coração que se dilata e quebra, e o cardiologista Ricardo sentencia o mixoma; na

equipa  imprestável para com o amor da profição; e acontece nos corredores, tocando na porta certa, até se desfazer na sala fresca e iluminada; e acontece de pois que vi as cores dos uniformes que veste o mundo dos profissionais; na janela que se abre, na janela que se fecha; às 

vezes o amor acontece e é simplesmente esquecido como um espelho de bolsa, que continua refletindo sem razão até que alguém, humilde, o carregue consigo; às vezes o amor acontece como se fora melhor nunca ter existido; mas pode acontecer com doçura e esperança; uma 

palavra, muda ou articula, e acontece o amor; na verdade; uma bebida; de manhã, de tarde, de noite; na floração excessiva da primavera; no abuso do verão; no castanho dourado do outono; no conforto do inverno; em todos os lugares o amor acontece; a qualquer hora o amor acontece;

por qualquer motivo o amor acontece; para recomeçar em todos os lugares e a qualquer minuto o amor acontece.
Texto escrito por mim. É atravessado pelo gosto de escrever om efeitos baseado em fatos 
verídicos, unicamente com a minha sabedoria. Em todo eu sou o meu objeto de representação ao mesmo tempo produto e produtor, num circulo com a natureza.
Publicado em primeira mão no blogue da Eli: 
http://escreverumlivro.blogspot.pt/2012/05/o-amor-acontece-4.html







39 comentários:

teca disse...

O amor quando invade é serenata dentro do peito...

Beijo carinhoso.

Edu. Matos disse...

Grande texto... O sentir invade a alma. Gostei

MJV disse...

Belo texto! Sua expressão denota, um espirito atento.
No amor como na batalha sempre estaremos em pé.
Quando o amor acontece, tudo se desvanece.
Minha terapia do dizer é tudo fazer.
Suas fotografias, são bem eloquentes,
Trazendo ao de cimo,
Todos os sentimentos.
Parabéns... Abraço,

tulipa disse...

MANUEL

BONITO O TEU TEXTO sobre:
O AMOR ACONTECE!
...
não sei se ainda posso participar;
eu gostava, mas não sei como fazer!
...
tens razão no que escreves:
..."às vezes o amor acontece como se fora melhor nunca ter existido; mas pode acontecer com doçura e esperança!..."
Gostei.

Quando visitas os meus 2 blogues?
não te esqueças do outro, o dos "Pensamentos"...
Beijokas

Fernando Santos (Chana) disse...

Excelente trabalho....
Um abraço

Por aqui e por acoli... disse...

Bom trabalho Manél,gostei imenso do texto e das fotos.
Abraço

La Gata Coqueta disse...



Unas imagenes de almas adultas, que despiertan los sentimientos de los recuerdos...
Y las de las aves captadas extraordinariamente!!
****


Lo más bonito es la aurora de la mañana
Y tu amistad el mejor regalo
Que podía encontrar.

Es un privilegio
Que llenan mis bolsillos de estrellas
Y los ojos se visten de acuarelas.

Un abrazo soñando
Y un beso reposando
a tu lado.

María del Carmen


SOL da Esteva disse...

Expressivas as tuas Fotos, todas elas a "silabar" que o Amor acontece.
Edificante, Amigo.

Abraços

SOL

mfc disse...

Umas fotos absolutamente magníficas para um texto lindo lindo!

Laura Martins disse...

Obrigada pelas visitas aos meus dois blogs.
Parece que cada dia que passa tenho menos tempo ou, talvez, seja eu que me canso mais e faço menos.
Tudo é possível!
Enfim, cá estou a agradecer e a comentar: a fotografia das pombas é excepcional.
Obrigada e até à próxima visita
Laura B. Martins
http://aveseanimaisdiversos.blogs.sapo.pt

CONCEIÇÃO DUARTE disse...

Manuel, que lindo! aDOREI VIR AQUI... QUE BOM QUE FOI LÁ TAMBÉM! lINDAS AS PESSOAS QUE COLOCOU AQUI E LINDO SEU TEXTO TAMBÉM.

UM BEIJO GRANDE, CON

CONCEIÇÃO DUARTE disse...

Manuel, que lindo! aDOREI VIR AQUI... QUE BOM QUE FOI LÁ TAMBÉM! lINDAS AS PESSOAS QUE COLOCOU AQUI E LINDO SEU TEXTO TAMBÉM.

UM BEIJO GRANDE, CON

La Gata Coqueta disse...



He descolgado un trocito de cielo
Para que al mírate en su espejo
Sea la felicidad la sonrisa de tu reflejo.

Buen fin de semana
Sin distanciarse del optimismo
Ni asociarse con el pesimismo.

Un abrazo para saludarte
Y un beso para despedirte

María del Carmen


António Manuel Conceição Santos disse...

É a vida, meu amigo...
Passei hoje por aqui e adorei ver as suas ultimas postagens.
Um abraço cá do Algarve.

Filó Ladeira disse...

Lindo, muito lindo, meu primo!!! Bjimho

Avtoprokat disse...

Fantastic photo and caption. Bravo!

Vivian disse...

...amor acontece no olhar
atento de um fotógrafo
poético.

maravilhoso post!

imagens deslumbrantes.

bjs, alma linda!

La abuela frescotona disse...

fotos llenas de ternura y belleza, escritos de vidas que pasan por el mundo dejando la huella de sus amores....
saludos querido amigo

Multiolhares disse...

não te sei dizer qual a foto que mais gostei, cada uma com a sua propria beleza, e o texto a acompanhar tão forte como as fotos
bjs

Jessica disse...

Qué bellas palabras y qué bonitas fotografías. Ha sido una mezcla muy tierna y llena de dulzura.
Un abrazo!!

La Gata Coqueta disse...



Cuando paso a visitarte me crezco con los textos encontrados, que son el archivo de las vivencias, poesías o momentos de un trayecto de vida, que con ayuda del recuerdo han regresado al presente recobrando protagonismo.

Siendo hoy uno de esos momentos, que cuando me valla, me llevaré ese buen sabor en la comisura de los labios, porque has sabido aderezarlos con la textura de las palabras…

Un feliz viernes ya casi fin de semana te deseo, algo que siempre se espera con ansiedad para dedicárselo a diferentes prioridades que se van posponiendo.

Un beso tan profundo
Como el sentimiento
Del aprecio
Que nos ha unido.
María del Carmen



tulipa disse...

HOJE
8 de JUNHO
comemora-se o
DIA MUNDIAL DOS OCEANOS

MANUEL
TU
com um OCEANO tão belo à tua frente
e não fizeste um POST ALUSIVO
ao DIA...!


Dia Mundial dos Oceanos
(ou em inglês: World Ocean Day) começou a ser comemorado
em 8 de junho de 1992 durante a Rio-92
(em inglês: Earth Summit) na cidade do Rio de Janeiro, Brasil.

O Dia Mundial dos Oceanos tem a finalidade de,
a cada ano, fazer um tributo aos oceanos
e aos produtos que eles fornecem, tais como frutos do mar.


Os oceanos fornecem um meio de comunicação para o comércio global.
A poluição mundial e o consumo excessivo de peixes,
tem causado drásticas reduções nas populações de muitas espécies.

tulipa disse...

CONTINUA
A
MODERAÇÃO
DE
COMENTÁRIOS...
pareceu-me
que tinhas dito
que tinhas TERMINADO
com isto, da
MODERAÇÃO
DE
COMENTÁRIOS...
ou
estou enganada...?

La Gata Coqueta disse...



Me voy a tomar un breve descanso…

Nos vemos a la vuelta.

¡¡Gracias por la comprensión!!

Me llevo tu nombre gravado en la valija donde reposa mí cariño. Y cuando regrese continuaré haciendo uso de la modestia de las palabras, para que sigan iluminando el cauce de la amistad que tiñe de colores la ilusión.
Con párrafos abiertos para valorar las impresiones, que brotan del entusiasmo producido por la comunicación entre amigos.

Un sentido abrazo
Dejando al viento
Los sentimientos

María del Carmen

Eli disse...

Tens aqui uma boa inspiração. :) E... imagens lindas. Parabéns!

Obrigada por teres feito referência ao meu blogue.

:))

Maré Viva disse...

Um milhão de estrelas para este magnifico post, onde as palavras de mistura com as imagens, nos transportam para lá do que é terreno, para lá do que é pequeno!

Um abraço.

Elena disse...

Lindísima entrada llena de ternura.Unas imagenes excelentes trnsmiten mucho Manuel!
Siento no poder combinar por ahora, tengo muy poco tiempo lo que me ha obligado a cerrar incluso los comentarios en Fotopanorama.
Un abrazo.

Graça Pereira disse...

O amor acontece...sempre que o coração esteja aberto a todas as emoções!
Beijo e boa semana.
Graça

Vanuza Pantaleão disse...

Manuel, obrigada por partilhar conosco dessa sua sensibilidade em fotos e texto. Adorei, amigo!Beijos!

Julie G. disse...

A beautiful heartfelt post filled with loving, tender words and beautiful photographs. Thank you for sharing this stunning work!

tulipa disse...

A visita à Casa
onde a José Maria da Fonseca
foi fundada em 1834
permite ao público conhecer um pouco mais da história desta empresa familiar,
onde os valores passados de geração em geração,
continuam actuais
e permitem projectar a empresa no século XXI.

Construída no século XIX foi restaurada em 1923
pelo arquitecto Suíço,
Ernesto Korrodi, tendo sido a residência da família Soares Franco até 1974.

Com uma fachada e jardins de beleza muito especiais,
tem estado desde sempre associada à imagem da José Maria da Fonseca.

Eli disse...

Espero que estejas bem. :)

Alda Couto (Maria Catunto) disse...

Lindissimos trabalhos...parabéns!

Eventualmente Retratista disse...

está um trabalho delicioso =)

La Gata Coqueta disse...

Querio amigo paso a darte efusivas gracias por la visita recibida en este día tan especial para mí.

Aun sigo descansando motivo por el que no pongo nuevas entadas, pero siempre a todo el amigo que pase a visitarme le debo la atención de correspónderle.

Te deseo que cada aurora de la mañana te regale un ramito de sonrisas para que sea el fiel reflejo de la alegría en tu cara.

María del Carmen

Cláudia M. disse...

O amor simplesmente acontece...
Um beijo*

SELIA disse...


Obrigada pela visita e comentário.

Falando da lua hoje estava linda, brilhante e atrás das nuvens brancas, fiquei apreciando a sua beleza, era rara, nunca tinha visto a lua tão bela, pensei vou fotografar, claro que sabia que a câmera não poderia capturar a imagem, muito distante, mesmo assim peguei, mas quando retornei as nuvens estavam sobre a lua e parecia que iria chover.

Antes o céu estava quase limpo.
Combinar o horário seria impossível por causa do fuso, 4 horas a mais.
Bjs

Mel Santos disse...

Boa noite!

Fotos lindas,parabéns pelo bom gosto e por teu blog,adoro fotos!

Um grande abraço!

Mariazita Azevedo disse...

Olá, Manel
Não foi fácil cá chegar! Não consta das "etiquetas" do teu blog. (parece-me, acho que não o vi...). Andei a saltitar de lá para cá, até que consegui descobrir, pela data.

Gostei da descrição, completíssima, que fazes, acerca das situações em que o amor pode acontecer.

Deixa-me só acrescentar uma situação que a muitos (quase todos) passa despercebida:
O amor acontece quando alguém passa uma noite à cabeceira de um moribundo, desconhecido, que se encontra numa cama de hospital.

Este vai ser, provavelmente, o tema do meu próximo post. Já estou a arquitectá-lo, graças a ti.

Beijo GRANDE